Projeto Pedagógico do Curso

O curso de Licenciatura em Computação visa formar professores, nas áreas do ensino da computação e informática na educação, capazes de tratar conteúdos específicos das áreas, sendo um profissional no exercício da docência na condução do trabalho pedagógico em espaços educativos formais e não-formais, envolvendo-se de forma participativa e atuante na dinâmica própria dos espaços escolares além de possuir uma postura investigativa em torno dos problemas educacionais e específicos das áreas mencionadas, atuando na concepção de soluções do desenvolvimento de processos educacionais.

- atuar em diferentes contextos do ensino formal e não formal; contribuindo para a produção de conhecimentos e para a docência multidisciplinar e especializada nas áreas da computação e informática na educação.

- aplicar , de maneira criativa e efetiva, a informática e suas tecnologias nos processos de planejamento e gestão do ensino e aprendizagem nas escolas e organizações.

- utilizar novas metodologias e tecnologias educacionais no processo de ensino e aprendizagem.

- desenvolver estratégias de ensino diante das diferenças e dificuldades individuais dos estudantes.

- desenvolver e validar produtos e serviços de tecnologias educacionais, de acordo com as demandas das escolas, das organizações e dos indivíduos de maneira inovadora e contextualizada.

- promover a aprendizagem de forma criativa, colaborativa e de comunicação  conforme princípios da prática educativa.

- atuar como liderança na gestão de trabalho em equipe demonstrando visão  humanística quanto aos problemas, com consciência ética do papel  profissional na sociedade, no cenário regional, nacional e global.

- elaborar conhecimentos teóricos que garantam uma formação adequada e de qualidade para o exercício profissional, investigação, pesquisa e desenvolvimento na área de ensino de informática.

- promover discussões acerca da cultura tecnológica presente nos diferentes  espaços da sociedade.

As disciplinas teóricas e as práticas educativas desenvolvidas de forma articulada a partir do semestre inicial e deverão utilizar metodologias que estimulem a observação, a criatividade e a reflexão; que evitem a apresentação de soluções prontas e busquem atividades que desenvolvam  habilidades necessárias para solução de problemas. Ao estudante serão  sempre apresentados desafios que retratem a realidade que enfrentará  enquanto cidadão e professor-educador.  

A interdisciplinaridade e a construção do raciocínio crítico devem ser construídas pelo uso de técnicas metodológicas que tragam a realidade educacional para a sala de aula, proporcionando reflexão, discussão e avaliação, para a significação das disciplinas.

A orientação da Instituição na utilização e adequação da metodologia é no sentido de que não seja trabalhada de forma isolada. Ou seja, orienta-se  ao docente que, sempre que utilizar uma metodologia, documente, registre, discuta com a coordenação e a assessoria pedagógica para que o método produza efeitos reais, tornando-se assim, o objeto de pesquisa para possíveis  aprimoramentos.

Para que o estudante desenvolva um senso crítico, uma emancipatória  enquanto sujeito no processo ensino e aprendizagem, e, consequentemente c o n s t i t u a - s e e m um profissional preparado para atuar de maneira
voltada à transformação social, é imprescindível que as disciplinas dialoguem de maneira interdisciplinar. Desta forma, os programas de estudos continuados  através de grupos de estudo serão permanentes, como forma de garantir trabalho interdisciplinar no decorrer do curso.

A orientação pedagógica aos docentes é que atentem no processo  de elaboração dos Planos de Ensino, pois, a ementa, objetivos,  metodologias, avaliação e bibliografias devem estar nítidas e, em consonância ao Projeto Pedagógico do Curso - PPC, respeitando-se a liberdade de cátedra,
constitucionalmente garantida aos docentes.

O processo de avaliação do curso de Licenciatura em Computação será realizado mediante avaliação interna, avaliação institucional e avaliação  externa. A avaliação deverá ter como objetivo o aperfeiçoamento contínuo da qualidade acadêmica, a melhoria do planejamento e da gestão universitária e a  prestação de contas à sociedade. Assim, a avaliação estará voltada para o  aperfeiçoamento e a transformação do curso, preocupando-se com a qualidade  de seus processos internos.

A avaliação do curso deve ser realizada de forma constante, nas  reuniões de colegiado, reuniões com as turmas e com os responsáveis pelos  diversos projetos existentes no curso. Esta dinâmica permite documentar os  pontos positivos e negativos, as possibilidades e os limites, os avanços e as  dificuldades, subsidiando a tomada de posição e a redefinição de rotas a  seguir.

Os documentos originados destas avaliações compreendem as atas  das reuniões dos diversos colegiados e grupos existentes, bem como nos  relatórios dos processos avaliativos institucionais, em especial os resultados do relatório da Comissão Própria de Avaliação da Instituição.

Os processos avaliativos do Curso, incluindo as avaliações externas  realizadas no âmbito do SINAES (avaliação in loco de reconhecimento e  ENADE), devem subsidiar as decisões no que se refere ao Projeto Pedagógico
de Curso e as suas necessárias alterações e ajustes para dar conta dos  objetivos propostos e até mesmo para a retomada da discussão e redefinição  destes, através do Núcleo Docente Estruturante.

A consideração dos diversos processos avaliativos deverá  desencadear alterações sempre que necessário e respeitando-se os trâmites e exigências legais e institucionais, bem como informando, permanentemente, a
comunidade acadêmica quanto às transformações efetuadas.

Baixar Arquivo
SIGAA | Diretoria de Tecnologia da Informação - (55) 3218 9800 | Copyright © 2006-2021 - UFRN - jboss-sig-01.iffarroupilha.edu.br.inst1