Projeto Pedagógico do Curso

O Parecer CNE/CES 1.301/2001 e a Resolução CNE/CES 7/2002, que tratam das Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Ciências Biológicas, estabelecem que “O Licenciado em Biologia deve ter formação generalista, mas sólida e abrangente em conteúdos dos diversos campos da Biologia, preparação adequada à aplicação pedagógica do conhecimento e experiências de Biologia e de áreas afins na atuação profissional como educador nos ensinos fundamental e médio”.

Somando-se a isso, de acordo com a legislação, o egresso do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas do IF Farroupilha apresentará o seguinte perfil:

I. Generalista, crítico, ético, e cidadão com espírito de solidariedade;

II. Detentor de adequada fundamentação teórica, como base para uma ação competente, que inclua o conhecimento profundo da diversidade dos seres vivos, bem como sua organização e funcionamento em diferentes níveis, suas relações filogenéticas e evolutivas, suas respectivas distribuições e relações com o meio em que vivem;

III. Consciente da necessidade de atuar com qualidade e responsabilidade em prol da conservação e manejo da biodiversidade, das políticas de saúde, meio ambiente, biotecnologia, bioprospecção, biossegurança, na gestão ambiental, tanto nos aspectos técnico-científicos, quanto na formulação de políticas e de se tornar agente transformador da realidade presente, na busca de melhoria da qualidade de vida;

IV. Comprometido com os resultados de sua atuação, pautando sua conduta profissional por critérios humanísticos, compromisso com a cidadania e rigor científico, bem como por referenciais éticos legais;

V. Consciente de sua responsabilidade como educador, nos vários contextos de atuação profissional;

VI. Apto a atuar multi e interdisciplinarmente, adaptável à dinâmica do mundo do trabalho e às situações de mudança contínua do mesmo;

VII. Preparado para desenvolver ideias inovadoras e ações estratégicas, capazes de ampliar e aperfeiçoar sua área de atuação.

            Nessa perspectiva, busca-se a formação de egressos que atuem como difusores de boas práticas ambientais, através do fomento da Educação Ambiental nas atividades de ensino, pesquisa e extensão e como mediadores no processo de ensino-aprendizagem nos diferentes espaços, níveis e modalidades de ensino. Deve ainda possuir uma base teórica sólida no que se refere à sua formação específica, assim como no campo pedagógico, tendo formação cultural ampla, sendo a sustentabilidade o princípio norteador.

            Como professor, deve ser um profissional intelectual, crítico, ético, reflexivo e investigador, comprometido com o processo de ensino-aprendizagem, visando à formação de cidadãos capazes de agir na comunidade local/regional com responsabilidade social.

            Esse profissional da educação deve desenvolver competências para orientar e mediar o processo ensino-aprendizagem nos diferentes espaços, níveis e modalidades de ensino; acolher, respeitar e dialogar com a diversidade existente na comunidade escolar e social; propor e incentivar atividades de enriquecimento social e cultural; desenvolver práticas investigativas; elaborar e executar projetos em educação; utilizar e propor metodologias balizadas pela pesquisa educacional contemporânea, bem como promover o trabalho cooperativo, estando apto a prosseguir seus estudos em programas de formação continuada e pós-graduação.

Os egressos do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas estarão aptos a atuar como docentes na área de conhecimento de Ciências Biológicas, especialmente nos ensinos fundamental e médio, nas redes pública e privada de ensino.

A estrutura curricular do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas foi elaborada com vistas a garantir ao discente formação generalista, sólida e abrangente em conteúdos dos diversos campos da Biologia. A preparação didático-pedagógica adequada visa garantir a aplicação do conhecimento de ciências e biologia na vida profissional do educador dos anos finais do ensino fundamental (ciências) e médio (biologia). Para isso, a implementação de uma metodologia coerente a esse propósito deve ser utilizada desde o início do curso. Esse propósito é alcançado com a adoção de estratégias que visam:

            I - Proporcionar uma formação adequada com domínio dos conceitos fundamentais da área, com capacidade de compreender e ensinar os conteúdos de Biologia;

            II - Incentivar a participação em projetos de pesquisa, ensino e extensão como instrumento de qualificação profissional e de educação continuada;

            III - Desenvolver atividades técnicas e práticas de a forma integrar os conhecimentos teóricos adquiridos nas diferentes disciplinas dos núcleos básicos, específicos e pedagógicos;

            IV - Desenvolver durante o estágio e práticas profissionais integradas estratégias de ensino que permitam ao aluno participar ativamente do processo de construção do conhecimento;

            V - Realizar viagens de estudo a fim de integrar o aluno na realidade local e regional, buscando aprofundar o conhecimento biológico construído em sala de aula;

            A articulação teoria-prática é a estratégia metodológica básica adotada, a ser exercitada através da abordagem interdisciplinar das áreas de conhecimento. Esta metodologia prepara o aluno para o desenvolvimento da docência de ciências e biologia no ensino básico e, permite certa margem de liberdade e criatividade pelo aluno, proporcionando dessa forma a integração dos conhecimentos adquiridos no curso.

            Entende-se que a eficiência do processo de ensino e aprendizagem depende da atribuição de responsabilidades entre o aluno e o professor, ambos colaborando ativamente na geração de ideias e despertando a capacidade crítica do licenciando, em uma lógica de conhecimentos distribuídos em componentes curriculares e atividades complementares associadas a projetos de ensino, pesquisa e extensão.

Os estudantes com necessidade especiais de aprendizagem terão apoio educacional especializado pelo Núcleo de Atendimento a Pessoas com Necessidades Específicas (NAPNE), que visa oferecer suporte ao processo de ensino e aprendizagem de estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação, envolvendo também orientações metodológicas aos docentes para a adaptação do processo de ensino às necessidades em questão. Será garantida a acessibilidade pedagógica por meio da flexibilização e da adaptação curricular conforme necessidades específicas dos estudantes, com vistas a assegurar o processo de aprendizagem, e aceleração e suplementação de estudos para os estudantes com altas habilidades/superdotação.

A avaliação do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas é composta pelas etapas de autoavaliação institucional, avaliação de desempenho de estudantes e avaliação externa. A avaliação tem por objetivo garantir o acompanhamento da evolução do curso ao longo do tempo, constituindo-se em ferramenta para o planejamento da gestão e do desenvolvimento do curso.

Para realizar a autoavaliação institucional o IF Farroupilha possui uma Comissão Própria de Avaliação (CPA) que é um órgão Colegiado permanente que tem por finalidade o planejamento, implementação do processo interno de avaliação, sistematização e fornecimento de informações solicitadas pela Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (CONAES) e pelos órgãos da Administração Superior da respectiva instituição de ensino. A autoavaliação consiste na aplicação de questionários específicos a cada categoria (docentes, técnicos administrativos, discentes e sociedade civil organizada). Após, os dados são analisados e divulgados na forma de relatório institucional de autoavaliação.

A avaliação externa é realizada pelo MEC, através do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) que analisa as instituições, os cursos e o desempenho dos estudantes. São avaliados aspectos como ensino, pesquisa, extensão, responsabilidade social, gestão da instituição e corpo docente. O Sinaes também reúne informações do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) e das avaliações institucionais e dos cursos. Os resultados desta avaliação auxiliam no planejamento institucional, no embasamento de políticas públicas e também informam a sociedade sobre as condições dos cursos e instituições.

Uma das metas das avaliações interna e externa é garantir que os objetivos traçados para o curso sejam alcançados de forma concreta. Busca-se consolidar os resultados da avaliação interna, institucional, externa e da discussão com a comunidade acadêmica, resultando na elaboração de um relatório final, que subsidie a revisão e/ou aperfeiçoamento do Projeto Pedagógico de Curso, suas metas e a elaboração de propostas para o seu desenvolvimento. A publicação dos resultados é feita no âmbito dos professores, discentes e técnicos administrativos em educação do curso.

O principal objetivo é a melhoria da qualidade do projeto pedagógico e do desenvolvimento do curso. Além da CPA, o NDE e Colegiado do Curso reúnem-se sempre que existam demandas referentes ao curso, como o desempenho de turmas e/ou mudanças no PPC.

Baixar Arquivo
SIGAA | Diretoria de Tecnologia da Informação - (55) 3218 9800 | Copyright © 2006-2021 - UFRN - jboss-sig-01.iffarroupilha.edu.br.inst1